Não, “Missão Madrinha de Casamento” não é a versão feminina de “Se Beber, Não Case!”


Superdivertida. É o mínimo que se pode dizer de “Missão Madrinha de Casamento” (Bridesmaids). A comédia, que narra as desaventuras da protagonista Annie (Kristen Wiig) para organizar os eventos pré-casório da melhor amiga Lillian (Maya Rudolph), estreou na última sexta-feira (23) no Brasil.

A “gangue” de “Missão Madrinha de Casamento” é composta por – da esquerda para direita -Brynn (Rebel Wilson), Rita (Wendi McLendon-Covey), Becca (Ellie Kemper), Annie (Kristen Wiig), Lillian (Maya Rudolph) e Helen (Rose Byrne)/Divulgação

Os críticos do nosso país apontaram o longa de Paul Feig como a versão feminina de “Se Beber, Não Case!” (The Hangover). No entanto, eles exageraram. As meninas apavoram, mas não chegam ao extremo da escatologia, loucura e falta de limites de Phil (Bradley Cooper), Stu (Ed Helms) e Alan (Zach Galifianakis) nos dois filmes da franquia sobre despedida de solteiros.

“Missão Madrinha de Casamento” conta com um roteiro bem escrito e poucos clichês. Durante seus 132 minutos, o longa fala sobre a amizade de duas quase quarentonas que se conhecem desde a infância; as dificuldades financeiras e existenciais que a protagonista enfrenta após fechar sua confeitaria; e a eterna rivalidade entre mulheres.

Sim, um bom filme sobre nós, não poderia deixar de abordar esse tema. A rica, linda e magra Helen (Rose Byrne), a nova “amiga” de Lilian, faz de tudo para superar Annie. Os embates dão um tempero especial ao filme e demonstram claramente a diferença entre nós e eles.

Homens em grupo, como em “Se Beber, Não Case!”, conseguem se tornar grandes parceiros de farra. Mulheres competem e se matam. Megan (Melissa McCarthy), Rita (Wendi McLendon-Covey) Becca (Ellie Kemper) são as outras meninas da “gangue”. Elas gravitam entre Annie, Lillian e Helen e dão sustentação e continuidade à trama.

Além de viver a protagonista, Kristen escreveu o roteiro com a também atriz Annie Mumolo – que faz uma ponta na película como uma mulher com pânico de avião.


Kristen, que é mais conhecida nos Estados Unidos por séries de TV como “Saturday Night Live” e emprestar sua voz às personagens das animações “Como Treinar o Seu Dragão” (Ruffnut) e “A Era do Gelo 3” (mãe de Pudgy Beaver), convence na telona.

Sua Annie é terna, maluca, segura/insegura, engraçada, vingativa e amiga. Ou seja, é humana. Com isso, a personagem encanta homens e mulheres que se esbaldam com as suas trapalhadas e se comovem com as suas pequenas tristezas.

Missão Madrinha de Casamento | Site oficial [em inglês]

Gostou? Então, leia também
Três motivos para não esquecer Marlon Brando
“O Rei Leão” em 3D dá aula de estratégia aos estúdios de Hollywood

“Cowboys e Aliens” naufraga, mas apresenta 007 do faroeste
Romance de João Ubaldo retrata luxúria sob a ótica feminina
Três motivos para adorar Debbie Harry

Debora de Lucas


//

W3Counter

 

Anúncios

16 pensamentos sobre “Não, “Missão Madrinha de Casamento” não é a versão feminina de “Se Beber, Não Case!”

  1. Pingback: Romance de João Ubaldo retrata luxúria sob a ótica feminina | deborando

  2. Pingback: “Cowboys e Aliens” naufraga, mas apresenta 007 do faroeste | deborando

  3. Pingback: Com “O Rei Leão” em 3D, Disney embolsa milhões de dólares e dá aula de estratégia aos estúdios de Hollywood | deborando

  4. Pingback: Longa-metragem sobre vida de Paulo Coelho volta a se tornar notícia | deborando

  5. Pingback: Três motivos para não esquecer Marlon Brando | deborando

  6. Pingback: A gênese, a ascensão, a “morte” e a ressurreição do grupo Atitude | deborando

  7. Pingback: traição.com: infidelidade ganha aliados na internet | deborando

  8. Pingback: “Amizade Colorida” segue fórmula das novas comédias românticas sem perde personalidade | deborando

  9. Pingback: Adeus Steve Jobs, adeus Mestre do Reino Encantado da Maçã Mordida | deborando

  10. Pingback: Roteiro e atuações caricatas derrubam boas intenções de “Contra o Tempo” | deborando

  11. Pingback: Taylor Lautner, o lobinho que quer ser gente grande | deborando

  12. Pingback: Maitena se cansa de desenhar e lança “Rumble”, seu primeiro romance | deborando

  13. Pingback: Festival Cine Favela de Cinema convida internautas para abertura oficial | deborando

  14. Pingback: Três motivos para respeitar Pearl Jam | deborando

  15. Pingback: Mídias sociais empurram Jornalismo tradicional para patamar digital | deborando

  16. Pingback: “11-11-11”: Com traços de “O Bebê de Rosemary” e “A Profecia”, filme faz público gritar no cinema | deborando

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: