Em livro, pai de Amy Winehouse vai contar história real da cantora


“Eu sinto que preciso escrever este livro para contar a verdadeira história de Amy e me recuperar”, disse Mitch Winehouse, pai da cantora Amy Winehouse, no começo desta semana.

Indiscutivelmente, ele é a melhor pessoa para falar sobre a estrela.

Durante a breve e meteórica carreira da cantora, cerca de dez biografias foram escritas sobre a ela. A maioria caça-níqueis. Ou seja, redigidas a toque de caixa e baseadas em matérias de tabloides ingleses e fontes bem intencionadas – como a primeira professora de canto de Wine –, mas que não conviviam com a artista há anos.

Amy Winehouse morreu aos 27 anos em sua casa, no bairro de Camden, em Londres; a polícia inglesa ainda não divulgou a causa da morte da cantora de soul music/Divulgação

Sem contar que esses biógrafos não entrevistaram a musa dos hits “Rehab” e  “Back To Black” e compraram o rótulo “drogas-desequilíbrio-farra-falta de profissionalismo-agressividade” que a imprensa mundial impôs à jovem. Quem é esperto, sabe não se pode crer em tudo que se ouve (e até mesmo no que se lê)… Além disso, o ditado popular já alerta: “quem conta um conto, aumenta um ponto”.

Ciente desses erros e armado com o verdadeiro amor paterno – aquele que reconhece as falhas e as limitações da cria -, o inglês está escrevendo uma biografia da filha que está prevista para chegar às prateleiras mundiais no meio do ano que vem.

O livro, intitulado de “To Amy, My Daughter” (em tradução livre, Para Amy, Minha Filha), será publicado pela editora Harper Collins e trará páginas sobre a infância feliz, a fama, o estouro do disco “Back to Black” (2006) e o envolvimento com drogas de Amy.

Mitch apresentou o mundo da música à Wine. Quando a cantora era apenas uma menina, ele a levava para passear em seu táxi. Durante o trajeto, pai e filha cantavam músicas de Frank Sinatra.

Quando ela lançou seu primeiro disco “Frank” (2003), ele apontava para os cartazes de Amy espalhados pela ruas de Londres e dizia orgulhoso aos passageiros: “Aquela lá é minha filha!”.

Quando ela entrou para o mundo das drogas, ele ia a reuniões de pais de filhos viciados para tentar saber o que fazer para resgatar a filha do vício. Mas, infelizmente, não conseguiu.


Em 23 de julho deste ano, a cantora de soul foi encontrada morta em sua casa, no bairro de Camden, em Londres. A causa da morte da jovem de 27 anos ainda não foi divulgada pela polícia inglesa.

Toda a renda de “To Amy, My Daughter” será revertida à Amy Winehouse Foundation. A organização foi criada após a morte da cantora e auxilia crianças e jovens que enfrentam dificuldades.

E apesar dos pesares, a vida continua. Amy viveu como queria e acreditava que poderia mudar, se regenerar. É triste constar que o vício venceu o talento e que ela não estará aqui em 2033 – quando completaria 50 anos – para contar a sua própria história, rir e se espantar com seus erros e suas loucuras juvenis.


Amy Winehouse | Site oficial

www.amywinehouse.com


Amy Winehouse | MySpace
www.myspace.com/amywinehouse

Gostou? Então, leia também
Roteiro e atuações derrubam boas intenções de “Contra o Tempo”
Pré-venda de ingressos para documentário dos Stones se inicia

Três motivos para venerar Guns N’ Roses
Três motivos para adorar Debbie Harry
Enquanto R.E.M. sai de cena, Nirvana triunfa sobre a morte
CD e DVD de Iggy & The Stooges a preço de banana…
Adeus Steve Jobs, adeus Mestre do Reino Encantado da Maçã Mordida

“Amizade Colorida” é uma comédia romântica cheia de personalidade

Debora de Lucas


//

W3Counter

 

Anúncios

19 pensamentos sobre “Em livro, pai de Amy Winehouse vai contar história real da cantora

  1. Pingback: Taylor Lautner, o lobinho que quer ser gente grande | deborando

  2. Pingback: Três motivos para continuar escutando Legião Urbana | deborando

  3. Pingback: “Atividade Paranormal 3” supera precursores da franquia | deborando

  4. Pingback: “Você está sempre errado”, dispara o ativista politicamente correto | deborando

  5. Pingback: Dá comprar CDs baratos e originais na Paulista? Sim, saiba como aqui e agora | deborando

  6. Pingback: Lady Gaga: Não se espante se ela lançar um linha de iogurtes | deborando

  7. Pingback: Três motivos para ver (ou rever) “Sid e Nancy” | deborando

  8. Pingback: “Achtung Baby” chega aos 20 anos e ganha cinco edições comemorativas; álbum reinventou e amadureceu U2 | deborando

  9. Pingback: “A Bossa do Lobo”, mais uma biografia de Ronaldo Bôscoli chega às livrarias | deborando

  10. Pingback: “My Week with Marilyn” estreia nos Estados Unidos | deborando

  11. Pingback: OriginalMusicShirt.com vende camisetas com coreografias de filmes e videoclipes | deborando

  12. Pingback: 3MOTIVOSPARA… ir ao 3° Festival Internacional CulturaDigital.Br no Rio | deborando

  13. Pingback: Gorillaz completa dez anos; criação de Damon Albarn lança CD “The Singles Collection 2001-2011” | deborando

  14. Pingback: Documentário “Michael Jackson: A vida de um ícone” chega às lojas brasileiras | deborando

  15. Pingback: Espetáculo teatral “Missa dos Quilombos” volta aos palcos em 16 apresentações no Rio de Janeiro | deborando

  16. Pingback: Galeria Proud Camden organiza exposição de fotos em homenagem a Amy Winehouse | deborando

  17. Pingback: Katy Perry à moda Amy Winehouse | deborando

  18. Pingback: 3MOTIVOSPARA… participar do prêmio São Paulo de Literatura 2012 | deborando

  19. Pingback: John Lennon é o Maior Ícone Musical dos últimos 60 anos, aponta revista NME | deborando

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: