Inscrições para oficina gratuita de crítica de cinema seguem até 30/4

As inscrições para a oficina gratuita de crítica cinema se encerrarão em 30 de abril. O curso acontecerá de 7 a 21 de maio, sempre às terças e às quintas-feiras, das 18h30 às 21h30, na Oficina da Palavra Casa Mário de Andrade, em São Paulo.

O cineasta François Truffaut (1932 – 1984) foi crítico da prestigiosa revista Cahiers du Cinéma/Reprodução

O cineasta François Truffaut (1932 – 1984)/Reprodução

A ficha de inscrição pode ser preenchida no espaço cultural público (R. Lopes Chaves, 546, Barra Funda, Tels.:(11) 3666-5803/3826-408)
ou requisitada
pelo e-mail inscricao
palavra@oficinas
culturais.org.br.

Ao todo, há 15 vagas.

Ministrada pelo
crítico de cinema Christian Petermann,
a atividade é destinada a jornalistas, cineastas
e estudantes de Comu-
nicação, Cinema e
Rádio e TV.

Seja bonzinho e
curta a página do deborando ;) no Facebook!

Durante o curso,
o sócio-fundador
da Abraccine (Asso-
ciação Brasileira de Críticos de Cinema) apresentará exercícios de apreciação e crítica filmográfica e discutirá temas como roteiro, direção, fotografia e direção de arte.

Gostou? Leia também
Grátis: Nova edição da revista Factice já está na web
Livro apresenta origens do fotojornalismo no Brasil
Loja virtual gringa lança camiseta
com Arc Reactor do Homem de Ferro
Exposição panorâmica da artista plástica
Adriana Varejão segue até 10/6 no Malba
Cineasta David Lynch ganha mostra gratuita em SP
Semana das Querências: Entrevistar o ator Michael Fassbender
Fotógrafo Sebastiano Rossi exalta nudez feminina
Mostra reúne 60 fotografias da viagem
de Mário de Andrade à Amazônia

David Bowie anuncia pré-venda
da edição de 40 anos de Aladdin Sane
O passado e o presente de 6 top galãs dos anos 1980
Sem Tony Scott, filme Fome de Viver completa 30 anos
A partir de 100 filmes, livro reconta
história da ficção científica no cinema

Debora de Lucas


//

W3Counter
Anúncios

Livro reúne pôsteres da franquia James Bond

O livro James Bond 50 Years of Movie Posters reúne cartazes cinematográficos da franquia de 23 filmes do agente secreto 007. Apesar de não oficial, a aposta da editora britânica DK Publishing comemora os 50 anos de telonas do personagem criado pelo escritor Ian Fleming (1908 – 1964) em 1952.

Capa (ao centro) e páginas internas de James Bond 50 Years of Movie Posters/Reprodução

Em capa dura e com 320 páginas, o título conta com pôsteres do primeiro filme da série, 007 Contra o Satânico Dr. No (1962), até o último, 007 – Operação Skyfall (2012), de diversos cantos do mundo (veja filmografia completa a seguir). Além dos cartazes, a obra traz textos explicativos sobre cada campanha de divulgação e outros apetrechos como teasers e cards lobby.

Segundo a editora, o livro também apresenta materiais inéditos e raros.

Nas livrarias britânicas e norte-americanas desde 3 de setembro, James Bond 50 Years of Movie Posters não tem previsão de lançamento para o Brasil. No entanto, o título pode ser comprado em importadoras ou na Amazon.com por US$ 50 (cerca de R$ 100), sem as taxas de entrega.

Skyfall no Brasil
O longa-metragem 007 – Operação Skyfall (Skyfall) estreou no país em 26 de outubro e já levou mais de um milhão de espectadores aos cinemas.

Um dos pôsteres de 007 – Operação Skyfall/Reprodução

De acordo com o portal Filme B, o 23º filme da franquia faturou mais de R$ 2,2 milhões no último fim de semana no Brasil.

Na trama de 143 minutos, a lealdade de James Bond (Daniel Craig) por M (Judi Dench), chefe do Serviço Secreto Britânico, é testada.

O casamento entre o roteiro redondo de Neal Purvis, Robert Wade e John Logan, a direção precisa de Sam Mendes (Beleza Americana e Foi Apenas um Sonho) e a edição eletrizante de Stuart Baird (Lanterna VerdeSuperman – O Filme) deixaram a produção emocionante.

As facetas humanizada e sombria do 007 [@007] são aprofundadas a cada longa de forma primorosa por Craig (007 – Cassino Royale e 007 – Quantum of Solace). O oscarizado Javier Bardem está imbátivel como o vilão Silva. Tanto que a Academia já cogita nomear o espanhol ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante em 2013.

Seja bonzinho e curta a página do deborando ;) no Facebook!

No entanto, o ponto alto do filme é o desfecho inesperando. Com ele, mais um ciclo da franquia do mais charmoso espião de todos os tempos se completa.

***

FILMOGRAFIA COMPLETA DA FRANQUIA JAMES BOND
1º > 007 – Contra o Satânico Dr. No (Dr. No), 1962, com Sean Connery
2º > Moscou Contra 007 (From Russia with Love), 1963, com Sean Connery
3º > 007  – Contra Goldfinger (Goldfinger), 1964, com Sean Connery
4º > 007  – Contra a Chantagem Atômica (Thunderball), 1965,
com Sean Connery
5º > 007 – Só Se Vive Duas Vezes (You Only Live Twice),
1967, com Sean Connery
6º > 007 – A Serviço Secreto de Sua Majestade (On Her Majesty’s Secret Service), 1969, com George Lazenby
7º > 007 – Os Diamantes São Eternos (Diamonds Are Forever),
1971, com Sean Connery
8º >007 – Viva e Deixe Morrer (Live and Let Die), 1973, com Roger Moore
9º > 007 Contra o Homem com a Pistola de Ouro (The Man with the Golden Gun), 1974, com Roger Moore
10º > 007 – O Espião Que Me Amava (The Spy Who Loved Me),
1977, com Roger Moore
11º > 007 Contra o Foguete da Morte (Moonraker), 1979, com Roger Moore
12º > 007 – Somente Para Seus Olhos (For Your Eyes Only),
1981, com Roger Moore
13º > 007 Contra Octopussy (Octopussy), 1983, com Roger Moore
14º > 007 – Na Mira dos Assassinos (A View to a Kill ), 1985, com Roger Moore
15º > 007 – Marcado para a Morte (The Living Daylights),
1987, com Timothy Dalton
16º > 007 – Permissão para Matar (Licence to Kill), 1989, com Timothy Dalton
17º > 007 Contra GoldenEye (GoldenEye), 1995, com Pierce Brosnan
18º > 007 – O Amanhã Nunca Morre (Tomorrow Never Dies),
1997, com Pierce Brosnan
19 º > 007 – O Mundo Não é o Bastante (The World Is Not Enough),
1999 , com Pierce Brosnan
20º > 007 – Um Novo Dia Para Morrer (Die Another Day),
2002, com Pierce Brosnan
21º > 007 – Cassino Royale (Casino Royale), 2006, com Daniel Craig
22° > 007 – Quantum of Solace (Quantum of Solace), 2008, com Daniel Craig
23° > 007 – Operação Skyfall (Skyfall) 2012, com Daniel Craig

***

007 | Site Oficial [em inglês]
www.007.com

Gostou? Leia também
Cheio de marra, James Bond completa 50 anos de cinema
6 homens que levantam o meu humor
Arte interna da box Tarantino XX: 8-Films
Collection é (finalmente) revelada

Reality show Vida de DJ estreia nesta quarta (14/11) no Terra
Inscrições para Festival É Tudo Verdade se encerram em 10/12
Jorge Coli ministra palestra gratuita sobre ópera Macbeth em SP
Quem pode mais? Madonna ou Lady Gaga?
Ator Ricardo Darín estampa capa da revista Esquire Espanha
Designer Craig Knowles leva seus personagens ao Tumblr
Edvard Munch: O Grito recém-leiloado é exibido no MoMA
Apesar do peso histórico, mostra fotográfica
Observadores tem impacto positivo

Factice: uma revista de fotografia & moda na web
Exposição revisita obra de Nelson Rodrigues em SP

Debora de Lucas


//

W3Counter

Prometheus: Prelúdio da franquia Alien é espetacular

É impossível deixar a sala de cinema sem se sentir envolvido pelo filme Prometheus, de Ridley Scott. O prelúdio da franquia Alien se passa em 2093 e apresenta uma expedição científica que parte da Terra em busca da origem da humanidade.

Um dos cartazes do filme Prometheus, de Ridley Scott/Reprodução

Capitaneada pelos arqueólogos Elizabeth Shaw (Noomi Rapace)
e Charlie Holloway (Logan Marshall-Green), a equipe – também composta pela execu-
tiva da Weyland Corp Meredith Vickers (Charlize Theron),
pelo androide David (Michael Fassbender) e pelo capitão Janek (Idris Elba) – ruma à lua LV_223 e, lá, encontra
a sua perdição.

Antes de ser um
longa de ficção cientí
-fica (ou seja, um filme racional), a produção de 124 minutos leva às telonas emoções e comportamentos humanos como desejo, egoísmo, maldade, disputa, mentira, lealdade e traição.

Esses elementos estão aparentes na busca quase que fanática da dra. Shaw pelos Engenheiros – os criadores do homem–, na devoção desmedida de David por seu “pai” e nos constantes embates pelo poder que Vickers encara.

Por isso, a trama do diretor inglês comove e envolve a plateia. Ela nos mostra o que a humanidade é independente do tempo e do lugar.

A ausência da emblemática protagonista Tenente Ripley (Sigourney Weaver) consagra a franquia como um filme sobre mulheres fortes, determinadas, inteligentes e lutadoras. Ripley e Shaw vivem em mundos masculinos e precisam se sobressair a cada momento. Além disso, elas se tornam as últimas e as melhores esperanças da humanidade.

O hiato de Ridley Scott
O retorno de Ridley Scott (Blade Runner – O Caçador de Androides e Gladiador) ao universo alien demorou 33 anos para acontecer. Os admiradores da saga devem se lembram que USCSS Prometheus é a espaçonave que o cargueiro Nostromo resgata em Alien, o Oitavo Passageiro (1979), segundo longa-metragem da carreira do cineasta de 74 anos.


No entanto, Scott não perdeu a mão durante o hiato. O britânico conseguiu fazer um filme adulto, vibrante e instigante. Sem rebarbas, o elenco é perfeito, as subtramas se encadeiam e são necessárias para sustentar as mais de duas horas da produção. As cenas de ação e perseguição são verossímeis e assustadoras.

Seja bonzinho e curta a página do deborando ;) no Facebook!

Prometheus está levando uma surra da animação Madagascar 3 nas bilheterias brasileiras e norte-americanas porém, é terrivelmente espetacular e não pode ser ignorado e muito menos deixado de ser apreciado nos cinemas. | Disponível em 2D e 3D | Em cartaz desde 15 de junho | Classificação indicativa: 14 anos

Prometheus | Site Oficial [em português]
www.prometheusfilme.com.br

Prometheus > Canal Oficial no YouTube

Prometheus | Site Oficial [em inglês]
www.prometheus-movie.com

Gostou? Então, leia também
Pedro Almodóvar e Antonio Banderas voltam a trabalhar
juntos; Relembre os filmes da parceria dos espanhóis espanhola

Última sessão da peça OhAmlet acontece em 25/6 na  Oswald de Andrade
Filme Woody Allen: A Documentary agrada críticos britânicos
Fotógrafo Antoine Verglas fantasia cotidiano de showgirl em livro
A Lua de Yakuza: Chocante livro de Shoko Tendo a R$ 5
Ziggy-Fy Yourself!: Encarne o alter ego de David Bowie
Galeria francesa organiza exposição em homenagem aos Rolling Stones
Andy Warhol, André Kertész, Claudio Edinger e Ozualdo
Candeias ganham exposições individuais no MIS em SP

Videoinstalação tem imagens inéditas do filme A Invenção de Hugo Cabret
7 Días en La Habana e Savages são as apostas de Benicio Del Toro para 2012
Filme O Corvo transforma escritor Edgar Allan Poe em personagem caricato
Diretor Marcos Prado erra na mão e transforma
filme Paraísos Artificiais em neopornochanchada

Debora de Lucas


//

W3Counter

A Lua de Yakuza: Chocante livro de Shoko Tendo a R$ 5

Por apenas R$ 5, a autobiografia A Lua de Yakuza (Yakuza Moon), de Shoko Tendo, pode ser comprada na T&T Revistaria, no centro da cidade São Paulo (veja o endereço abaixo).

Capa da edição brasileira do best-seller Yakuza Moon/Reprodução

Com aura de bestseller,
o título chegou às livra-
rias brasileiras em 2010 pela editora Livros Escala.

Em sua estreia literária,
a escritora – filha de um chefão da máfia japone-sa – narra a sua contun-
dente, dilacerante e chocante história.

Sob a ótica feminina e totalmente desgla-mourizada, a leitura desvenda o mundo do crime organizado no Japão e o papel submisso da mulher dentro dele.

“Nua” em 252 páginas
Munida de linguagem coloquial e sem papas na língua, Tendo se despe nas 252 páginas do livro. Detalha o bullying sofrido na infância por ser filha de um yakuza, a violência de seu pai – Hiroyasu – calibrada pelo álcool, a adolescência imersa no universo das drogas e das gangues e a passagem por um reformatório.

As relações amorosas com amantes abusivos e agressivos da máfia japonesa, os constantes espancamentos, a dependência por sexo e a reconciliação com os pais também fazem parte da obra da escritora que, aos 20 anos, decidiu tatuar o corpo inteiro para dar um basta na vida desregrada.

“Foi depois de uma surra especialmente ruim que entendi que tinha de fazer alguma coisa drástica. Abandonei as drogas, decidi nunca mais sair com homens da Yakuza e entrei no ateliê de tatuagem. Para seguir em frente, tinha de reconhecer meu DNA [de Yakuza]… e assumir o controle”, diz a japonesa à revista Marie Claire.

Empatia e catarse
O inferno enfrentado por Shoko Tendo leva os leitores mais sensíveis a uma reflexão profunda sobre os momentos mais difíceis de suas próprias vidas e faz com que emoções esquecidas ressurjam. A história dura e o estilo simples e envolvente da autora comovem e provocam empatia e catarse.

Shoko Tendo, autora de A Lua de Yakuza/Jeremy Sutton-Hibbert/Reprodução

A narrativa também revela um Japão desconhecido para os ocidentais. Apresenta uma sociedade em que a desonra, a maldade, o cinismo, a violência, a depravação e as mentiras têm espaço cativo.

Como Corações Sujos, de Fernando Morais, permite um mergulho na história da imigração japonesa no Brasil, A Lua de Yakuza desmistifica a sociedade contemporânea do país dos samurais.

Seja bonzinho e curta a página do deborando ;) no Facebook!

O pósfacio do escritor Manabu Miyazaki (um também anjo caído da máfia japonesa!) dá veracidade e engrandece ainda mais o livro. Simplesmente imperdível! A leitura de A Lua de Yakuza é definitivamente essencial.

T&T Revistaria
Rua Mauá, 38
Santa Ifigênia | São Paulo | São Paulo
Tels.: (11) 3333-2271 e 3333-2308
e-mail: tetrevistaria@hotmail.com

***

Compra online – Quem não puder aproveitar a oferta no centro de São Paulo, pode adquirir A Lua de Yakuza, de Shoko Tendo, por R$ 19,90 no site da editora Escala. Segundo a página da empresa, a previsão de entrega do livro é de até 15 dias úteis. www.escala.com.br

Gostou? Então, leia também
Livros dos escritores Lima Barreto e Alcântara
Machado são distribuídos de graça em SP

A Casa dos Budas Ditosos: Romance de João
Ubaldo retrata luxúria sob a ótica feminina

Livro de fotos Parejas Perfectas apresenta casais célebres do cinema
A Felicidade: Livro de Domenico De Masi e Oliviero Toscani chega ao Brasil

A Bossa do Lobo, mais uma biografia de Ronaldo Bôscoli chega às livrarias
Maitena se cansa de desenhar e lança Rumble, seu primeiro romance
CD e DVD de Iggy & The Stooges a preço de banana…
Romulo Fróes apresenta releitura de disco clássico
de Caetano Veloso em show gratuito em São Paulo

Videoinstalação tem imagens inéditas do filme A Invenção de Hugo Cabret
Ziggy-Fy Yourself!: Encarne o alter ego de David Bowie
Galeria francesa organiza exposição em homenagem aos Rolling Stones
Curso gratuito do CCJ forma roadies em SP
7 Días en La Habana e Savages são as apostas de Benicio Del Toro para 2012
CCJ premia roteiros de animação com R$ 10 mil

Debora de Lucas


//

W3Counter

Filme O Corvo transforma escritor Edgar Allan Poe em personagem caricato

Pobre Edgar Allan Poe (1809 – 1849)… A criatividade dos inexperientes roteiristas Ben Livingston e Hannah Shakespeare transformou os últimos dias do poeta e contista norte-americano em uma rocambolesca aventura policial.

Pôster oficial do longa-metragem/Reprodução

No longa-metragem O Corvo (The Raven) – estreado na última sexta-feira (18) no Brasil –, a obra do escritor é usada como fonte de inspiração por um serial killler.

Quando o detetive Fields (Luke Evans) percebe as semelhanças entre os crimes e as narrativas, convoca Poe (John Cusack) para auxiliá-lo nas investigações.

A ficção se passa em 1849, em Baltimore, nos Estados Unidos.

Reinventando Edgar Allan Poe
Homônimo a um dos poemas mais conhecidos do autor, o suspense de 110 minutos mescla episódios fantásticos, misteriosos e macabros de contos como Os Crimes da Rua Morgue e A Máscara da Morte Escarlate.

Além disso, a produção oferece informações verdadeiras e pontuais sobre a vida do literato norte-americano como a sua expulsão da acadêmia militar, a morte de sua mulher, sua difícil situação financeira e sua própria morte até hoje inexplicada.

Ao transformar o escritor em uma espécie de herói, a ousada proposta dirigida por James McTeigue (V de Vingança e Ninja Assassino) não funciona porque dá ares de personagem de aventura a uma pessoa que existiu e que não tinha essas características. Por isso, o Poe visto nas telonas é tão falso, caricato e não desperta simpatia.

Dessa vez, a fórmula hollywoodiana que constantemente reinventa e moderniza figuras emblemáticas – como Sherlock Holmes, de Sir Arthur Conan, e James Bond, de Ian Fleming – não colou.

Talvez, a melhor solução para o filme fosse adaptar qualquer uma das obras-primas do autor – conhecido como um dos grandes nomes da Literatura da Língua Inglesa – e criar um herói a partir disso. Ou que algum roteirista experiente tivesse colocado a mão na massa.


Cusack & cia
Apesar de ser um excelente ator, John Cusack (2012, Alta Fidelidade e Quero Ser John Malkovich) está apagado na pele de Poe.

Seja bonzinho e curta a página do deborando ;) no Facebook!

A atuação de Luke Evans (Imortais, Os Três Mosqueteiros e Robin Hood) como detetive Fields é canastrona. As interpretações do restante do elenco também não ajudam a produção a decolar.

Resumindo, dá para assistir. É um filme esteticamente bonito, mas não espere grandes cenas, nem grandes emoções. [Disponível em 2D]

O Corvo | Site oficial [em português]
www.ocorvofilme.com.br

***

Gostou? Então, leia também
Os Vingadores da Marvel: um superfilme; uma máquina de fazer grana
Battleship: Irmãozinho de Transformers não conquista público brasileiro
Diretor Marcos Prado erra na mão e transforma
filme Paraísos Artificiais em neopornochanchada
CCJ premia roteiros de animação com R$ 10 mil
Inscrições para Festival Cine MuBE Vitrine Independente 2012 vão até 31/5
Exposição de fotos da Galeria Clic homenageia Festival de Cannes
Graphic novel Dolltopia apresenta lado renegado do mundo das bonecas
Todos em Dolltopia estão lutando por autonomia, diz Abby Denson
Caixa de Cinema: Jukebox de filmes é inaugurada no MIS


//

W3Counter

Debora de Lucas

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: